Polícia Civil prende mais uma pessoa envolvida no golpe contra casal de idosos; prejuízo chegou a R$ 80 mil

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC), dando continuidade à investigação que, no final da semana passada, culminou na prisão de um homem de 35 anos, cumpriu mandado de prisão temporária, na tarde da última quinta-feira (18), em face de uma mulher de 29 anos. Ela foi presa em uma academia de ginástica, no Setor Central, em Goiânia, suspeita de, na companhia de seu comparsa, aplicar um golpe contra casal de idosos, fazendeiros, residentes em Campo Grande (MS), causando-lhes prejuízo de cerca de R$ 80 mil.

Relembre o caso

Trata-se de crime de estelionato, envolvendo engenharia social conhecida como “golpe do novo número”. No caso em questão, no dia 11 de dezembro de 2020, as vítimas, acreditando estarem atendendo um pedido urgente da sua filha, médica, via Whatsapp, efetuaram dois depósitos nas contas indicada pelos criminosos. A justificativa usada pelo estelionatário era de que estava comprando um equipamento para a clínica onde a médica trabalhava, mas que não estava conseguindo efetuar o pagamento por falha no aplicativo do banco.

Para dar ares de veracidade ao pedido, os criminosos utilizaram a fotografia da filha da vítima no número de Whatsapp utilizado. Após tomar conhecimento do fato, a autoridade policial, imediatamente, representou pela prisão temporária dos suspeitos.

Após o crime, a instituição financeira entrou em contato com a mulher suspeita para que ela justificasse o recebimento da quantia de R$ 50 mil na conta dela. Neste momento, ela, em conluio com o outro suspeito, forjaram contrato de compra e venda de um veículo automotor no valor de R$ 60 mil. O contrato é falso, pois as partes e seu objeto não existem. A mulher confessou este crime em interrogatório. Por este motivo, ela também será indiciada por falsificação de documento particular. O contrato ideologicamente falso foi apreendido durante o cumprimento do mandado de prisão temporária. Agora, a dupla responderá ao inquérito policial pelo delito de estelionato. Os presos se encontram à disposição da Justiça.

Fonte/foto: PCGO



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *