Questão Ambiental: Projeto de lei prevê prazo de 180 dias para substituição de canudos de plástico

A vida útil de um canudo de plástico é de 4 minutos, de acordo com o projeto Menos 1 Lixo. Por outro lado, o mesmo canudo levará cerca de 200 anos para se decompor. Esse material representam cerca de 4% de todo o lixo plástico do mundo. Para reduzir esse impacto, a Câmara Municipal de Goiânia aprovou ontem (14), por unanimidade, o projeto que proíbe o uso de canudos de plástico nos estabelecimentos comerciais da capital. A proposta determina a troca por aqueles que são recicláveis e biodegradáveis.

O texto mantém o prazo original de 180 dias para adaptação do comércio à mudança. A fiscalização começará logo após esse período. Os comerciantes que descumprirem a lei poderão ser multados em até R$13 mil. A emenda que alterava o período de adaptação do comércio foi retirada da proposta por decisão também unânime do plenário. O projeto ainda passará sanção do prefeito e foi proposto pelo presidente da Câmara, Romário Policarpo (PROS).

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-GO), Fernando Jorge, afirmou que a medida não surpreendeu a associação. “Nós já esperávamos isso, pois outras capitais brasileiras já aboliram o uso dos canudos. Entretanto, não houve nenhum diálogo conosco em relação ao assunto. Eles apenas decidiram”, disse.

De acordo com Fernando, o prazo para a regularização é curto frente às dificuldades que os comerciantes irão enfrentar. “Teremos que terminar com os estoques existentes e correr atrás de fornecedores. Atualmente, não temos ninguém que produza esse tipo de canudo no Estado. Provavelmente teremos que comprar de São Paulo. Por isso o prazo precisava ser maior”, explicou.

Sobre o impacto financeiro da mudança nos comércios e o repasse disso para o bolso do consumidor, Fernando Jorge, disse que ainda não é possível mensurar valores. “É muito cedo para afirmarmos qualquer coisa, mas, com certeza, isso terá um custo maior para os empresários e teremos lidar com prejuízos, pois quem trabalha na irregularidade continuará trabalhando com isso sem nenhum problema. Quem arcará com o custo somos nós.”

Em relação à redução do impacto ambiental que a medida causará, Fernando Jorge afirmou que a Abrasel-GO afirmou: “Se a coleta seletiva e o recolhimento de lixo fosse efetivo em nossa cidade, todo esse material seria reciclado e o impacto ambiental reduzido”.

O presidente informou estar buscando a melhor forma de realizar a transição para os pequenos empresários. “Os grandes bares e restaurantes de Goiânia têm mais condição de arcar com essa mudança. Quem vai sofrer são os pequenos. Mas, nós entendemos que isso parte de uma adesão popular a uma nova maneira de consumir e precisamos nos encaixar.”

No Brasil, a cidade do Rio de Janeiro (RJ) foi a pioneira na proibição do uso de canudos plásticos em bares e restaurantes. A medida foi adotada em 2018.

Foto: Diomício Gomes/O Popular

Fonte/foto: https://www.opopular.com.br/noticias/cidades/projeto-de-lei-prev%C3%AA-prazo-de-180-dias-para-substitui%C3%A7%C3%A3o-de-canudos-de-pl%C3%A1stico-1.1798192



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *