Virgenor Florêncio Ramos

Profissão: Delegado de Polícia do Estado de Goiás

O FATO

O Delegado de polícia Virgenor Florêncio Ramos, 53 anos, foi assassinada na manhã do dia 29/03/2006, ao reagir a uma tentativa de roubo nas imediações da agência do Banco do Brasil na Avenida Pio XII, Cidade Jardim. O crime foi cometido por dois homens que ocupavam uma motocicleta Honda CG Titan Azul e que, conforme levantamentos feitos pela polícia civil, estariam monitorando o comportamento de clientes de bancos da região.

Um dos acusados, Luiz Antônio de Amorin Neto, 29 anos, foi morto durante a troca de tiros com o delegado. O outro suspeito escapou em um moto Honda Biz, roubada de uma mulher que estav nas proximidades. Virgenor foi assassinada pouco antes das 11 horas. Segundo a apuração feita por equipes da Polícia Civil, inicialmente ele se dirigiu a uma agência do Banco Itaú, também localizada na Avenida Pio XII, onde teria feito o saque de R$ 6,3 mil correspondente ao salário. De lá, seguiu no seu carro particular, um vectra verde, em direção à agência do Banco do Brasil, a aproximadamente 200 metros de distância, onde faria o depósito. O delegado descia do carro quando foi abordados pelos dois homens que ocupavam a Honda CG Titan, placa KEW-0214.

O delegado Jorge Moreira da Silva, titular da Delegacia de Homicídios, um dos responsáveis pelos primeiros levantamentos, informou que os acusados anunciaram o assalto de posse de um revólver. Virgenor teria se recusado a entregar o envelope no qual estava o dinheiro e retornou ao carro, onde mantinha uma pistola escodinda sob o banco. Neste momento, conforme dados da polícia civil, Luiz Antônio de Amorim Neto, que portava a arma, começou a disparar vários tiros contra o delegado. Mesmo ferido, Virgenor conseguiu atirar em direção aos dois assaltantes e sair do carro pela porta de passageiro.

Virgenor Florêncio foi levado ainda com vida ao Hospital de Urgências de Goiânia, onde morreu momentos depois. O delegado tinha 28 anos de carreira na Polícia Civil. Neste período trabalhou em delegacias de vários municípios, inicialmente como Agente de Polícia e, há oito anos, como delegado. Natural de Arraias-TO, Virgenor era o mais velho de sete irmãos. Ele era casado com Deusina de Oliveira Ramos e tinha três filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *